Se você achava que as orcas capturadas eram difíceis, bem, isso só piorava. Um documento obtido pelo Buzzfeed revelou que o Seaworld fornece às suas orcas drogas psicotrópicas, capazes de combater as tensões e acompanhar as agressões de suas vidas. O medicamento em questão é o benzodiazepínico, que contém dois medicamentos humanos comuns: Xanax e Valium. A participação no SeaWorld já caiu 13% este ano, para surpresa de ninguém.

A notícia vem junto com o pesadelo de relações públicas do qual o SeaWorld está lutando com o popular documentário Blackfish, que pinta uma imagem angustiante da vida de suas orcas em cativeiro. A revelação vem por meio de uma declaração juramentada em uma disputa legal entre a SeaWorld e a rival Marineland sobre a aquisição da Ikaika, uma orca altamente valorizada e programada para ser enviada ao SeaWorld.

Jared Goodman, diretor de direito animal da PETA, disse ao BuzzFeed:

O documentário revelou que Tilikum havia sido implicado em outras duas mortes anteriores às dela, mas o SeaWorld, no entanto, continuou a sujeitá-lo a esse estilo de vida sombrio e sujeitar seus manipuladores aos perigos que o acompanhavam.

Como tal, não é um grande salto sugerir que eles tentariam encobrir o problema drogando as baleias. Em comunicado, o porta-voz do SeaWorld, Fred Jacobs, defendeu as práticas da empresa:

Os benzodiazepínicos são por vezes utilizados em medicina veterinária para o cuidado e tratamento de animais, tanto domésticos como zoológicos. ... O uso de benzodiazepínicos é regulado, e esses medicamentos só são prescritos aos animais por um veterinário. O seu uso para cuidados médicos com cetáceos, incluindo orcas, é limitado, pouco frequente e apenas conforme clinicamente indicado com base na avaliação do veterinário responsável. Não há maior prioridade para o SeaWorld do que a saúde e o bem-estar dos animais sob seus cuidados.

A declaração de Jacobs faz um erro fundamental: sugere que as orcas, por natureza, precisam ser sedadas, o que não é verdade. As populações de orcas na natureza não são propensas a esse tipo de agressões, estressores ou momentos de violência em relação aos seres humanos. Muito pelo contrário - apesar do rótulo de "baleias assassinas", não há casos conhecidos de ataques orca-humanos na natureza.

Se o SeaWorld realmente não tivesse "maior prioridade" do que "a saúde e o bem-estar" de seus animais, eles deveriam considerar uma solução muito simples: fechar a loja. Como eles parecem achar essa idéia completamente fora de questão, então talvez, apenas talvez, o motivo do lucro esteja um pouco mais alto na lista de prioridades do SeaWorld do que o permitido.